SUPERMERCADOS DE MINAS ESTÃO OTIMISTAS
Os resultados positivos da base mensal e do acumulado do ano são atribuídos à melhora gradual da economia e sinalizam para a confirmação da expectativa para 2019 de expansão de 4% sobre 2018
www.diariodocomercio.com.br. Adicionado em 4/11/2019

Apesar de as vendas dos supermercados mineiros terem caído em setembro em relação ao mês anterior, em função, principalmente, da base forte de comparação e do número de dias úteis, o setor segue registrando aumentos nas demais bases comparativas.


Os resultados positivos da base mensal e do acumulado do ano são atribuídos à melhora gradual da economia e sinalizam para a confirmação da expectativa para 2019 de expansão de 4% sobre 2018.

Os números constam do Termômetro de Vendas, pesquisa mensal da Associação Mineira dos Supermercados (Amis) divulgada ontem. A pesquisa é feita com empresas de todos os portes, em todo o Estado, e os dados estão deflacionados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do IBGE.

De maneira geral, conforme o superintendente da Amis, Antônio Claret Nametala, o resultado do acumulado do ano até setembro, período em que as vendas aumentaram 3,2% sobre a mesma época do ano passado, já reflete o cenário de mudanças da conjuntura, com melhora da inflação, queda dos juros e até mesmo dos níveis de emprego.

“Para se ter uma ideia, nos nove meses do ano passado, o aumento das vendas era de 2,7% em relação a um ano antes. Ou seja, tivemos uma melhora, e a expectativa é de que, daqui para frente, acentue ainda mais por uma série de fatores, como a época do ano, a reforma da Previdência, a injeção de recursos na economia, entre outros”, explicou.

Quando analisado apenas o mês de setembro, o Termômetro de Vendas mostrou desempenho negativo de 4,07% frente a agosto, sobretudo pela base elevada de comparação e o menor número de dias úteis. Vale lembrar que o oitavo mês deste exercício apresentou o melhor crescimento dos últimos cinco meses, com expansão das vendas em 7,85%.

“Além disso, setembro é um mês sem sazonalidades que favoreçam os níveis de comercialização dos supermercados”, disse o superintendente.

Já na comparação de setembro deste ano com o mesmo mês de 2018, o desempenho ficou positivo com variação de 4,21%. Com isso, a expectativa para o acumulado deste exercício está mantida em alta de 4% sobre o ano anterior.

Regiões – Em relação às regiões do Estado, nenhuma apresentou variação muito acentuada em relação à média.  No entanto, Claret destacou que aquelas mais afetadas por efeitos sazonais de empregabilidade e renda, especialmente ligados ao agronegócio, tiveram retrações maiores em setembro.

Como os números regionais divulgados pela pesquisa dizem respeito ao comparativo do mês com o imediatamente anterior, todos os resultados foram negativos. De acordo com o Termômetro de Vendas, na região Central houve queda de 3,84%, no Centro-Oeste, de 3,9%, no Norte, de 4,79%, no Rio Doce, de 3,73%, no Sul, de 3,88%, no Triângulo, de 4,78%, e na Zona da Mata, de 4,58%.

Fonte: www.diariodocomercio.com.br

 

Diretoria triênio 2022/2025
Por: Christian Henrique Ferreira Costa
+ artigos
Webdevelper. Institucional Notícias Fórum de Discussão Associe-se Fale Conosco