História

A União dos Varejistas de Minas Gerais nasceu de um grande sonho de intrépidos comerciantes, que, esmagados pela péssima conjuntura econômica da época, reuniam-se, em vários lugares, principalmente nas proximidades do Mercado Municipal, na Praça Vaz de Melo ou sob as árvores da Praça Sete, discutindo como criar sua entidade de classe. O primeiro presidente da União foi o comerciante João Ferreira Porto Filho, um dos primeiros varejistas de Belo Horizonte.

Corria o ano de 1930, cheio de crises de toda espécie, que atormentavam e quase inviabilizavam a vida comercial do município, com as elevações descabidas de preços e o confisco tributário, que oprimia a todos com juros e impostos absurdos.

Era necessária a criação de um órgão que abrigasse as pretensões e interesses do comércio. Assim, no dia 10 de setembro de 1930, finalmente, nascia a União dos Varejistas de Minas Gerais.

Fazia parte do grupo que discutia a criação da União dos Varejistas, o jovem advogado Pedro Aleixo, que já despontava em sua brilhante carreira. Ele se encarregou de redigir o Estatuto da entidade, de maneira simples, objetiva e flexível e nada cobrando por esse serviço.

A União dos Varejistas desde cedo não se limitou a discutir e a defender apenas os interesses de seus associados, mas, estendeu-se na defesa do bem-estar e progresso de toda a população da capital.

Problemas da mais alta significação para a vida de Belo Horizonte, de Minas e do Brasil passaram pela Tribuna da UVMG, em suas reuniões semanais.

Visando ao desenvolvimento da capital, a UVMG realizou promoções interessantíssimas como a do Concurso de Vitrinas e outros, bem como incentivou atividades favorecedoras do turismo na região. Através de serviços médicos, fez campanhas de saúde, numa delas, conseguiu a erradicação da doença do bócio (papo) no Estado, contribuiu para a solução dos problemas de abastecimento e de racionamento dos derivados de petróleo, do açúcar, do sal, do trigo e de todos os produtos escassos em conseqüência da guerra.

A Tribuna da União dos Varejistas jamais deixou de acompanhar e/ou buscar soluções para os grandes problemas e questões que surgiam para Belo Horizonte, para o Estado de Minas e para o País.  Ali, combatiam-se ferrenhamente as concessões lesivas para o Estado, dadas à Companhia Força e Luz de Minas Gerais, que inibia o desenvolvimento da cidade. A pedido da União, o então Prefeito de Belo Horizonte resolveu o impasse econômico existente.

A UVMG defendeu com coragem e brilhantismo a criação da Cidade Industrial e as construções da Orbel e da Regap; e a transferência da Capital Federal para Brasília.

Registra-se na história da UVMG a difusão do espírito associativista que resultou principalmente na criação da Rede Farma e dos Supermercados Reunidos, e outros de diversos segmentos, além de redes associativas que formam uma grande cadeia econômica de Minas Gerais.

Nesses 79 anos de funcionamento ininterrupto, a União dos Varejistas de Minas Gerais presenciou inúmeras ações de aprimoramento da qualidade de vida da população de Belo Horizonte, de Minas Gerais e do Brasil; viu de perto movimentos político-militares; ascensão e queda de governos, sempre com a postura que lhe cabia como órgão de defesa dos interesses do povo.

A luta continua, a UVMG está se reestruturando institucionalmente, inclusive as reuniões mensais têm se preocupado em acompanhar o desenrolar das tecnologias atuais em todos seus aspectos de interesse do povo e, particularmente, de seus associados e outros clientes.


Texto postado por: Geane F. Ramos Mazzinchy

 









Webdevelper. Institucional Notícias Fórum de Discussão Associe-se Fale Conosco